Notícias Viva Mais

Ortopedia e Traumatologia PUBLICADO EM 24/07/2017

Videoartroscopia do Joelho: Procedimento é rápido e indolor

Participação do Dr. Gustavo Azi, médico ortopedista

Videoartroscopia do Joelho: Procedimento é rápido e indolor

Procedimento cirúrgico, minimamente invasivo, feito através de dois pequenos cortes, a videoartroscopia do joelho é uma cirurgia rápida utilizada para visualizar, diagnosticar e tratar de problemas na região. Ela permite ao médico ver todo o interior da articulação e os seus vários elementos, a fim de obter um diagnóstico final muito mais preciso que em uma cirurgia normal ou exames de raios X. É um procedimento por vídeo, que permite tanto o diagnóstico de lesão, que por vezes não se consegue visualizar em exames de imagem, como permite o acesso para tratar algumas patologias no joelho.

A patologia mais comum tratada através da videoartroscopia do joelho é a lesão meniscal, a lesão que acontece geralmente em atletas ou em alguns casos de pacientes com artropatia degenerativa do joelho. “A patologia do menisco é a mais comum de se realizar através da videoartroscopia. Outra patologia bastante comum é a reconstrução ligamentar. Então, para aqueles pacientes que rompem ligamentos dentro do joelho, é utilizada a videoartroscopia como via de acesso para alcançar o ligamento e para reconstruí-lo”, explica o médico ortopedista e especialista em cirurgia de joelho, Dr. Gustavo Azi.

O principal benefício da videoartroscopia do joelho é a pouca morbidade da técnica. Quando bem indicada, ela oferece pouca agressão e, por isso, o pós-operatório geralmente é bem tranquilo, o que permite uma reabilitação mais precoce do joelho. Porém, pelo fato de ser um procedimento cirúrgico, o paciente precisa fazer uma avaliação pré-operatória para saber se tem a possibilidade de realizar a videoartroscopia. Apesar de ser um procedimento pouco invasivo, todo paciente precisa dessa avaliação pré-operatória.

A grande vantagem é um pós-operatório menos doloroso, é uma cirurgia minimamente invasiva, então, preserva bastante a anatomia do joelho, além de diminuir o risco de infecção e das outras complicações relacionadas a procedimentos abertos. “O paciente poderá sentir um pequeno desconforto, mas será um desconforto que vai ser facilmente controlado por analgésicos comuns e com crioterapia, que é a terapia com bolsa de gelo”, finaliza Dr. Gustavo Azi.

Compartilhe essa notícia: