Notícias Viva Mais

Neurologia PUBLICADO EM 17/11/2015

Varreduras do cérebro podem prever quando pacientes despertarão do coma

Estudo ajudará a desenvolver tratamentos inovadores personalizados

Varreduras do cérebro podem prever quando pacientes despertarão do coma

As varreduras do cérebro de pessoas em coma podem ajudar a prever quem vai recuperar a consciência, de acordo com um novo estudo publicado no jornal Neurology, da Academia Americana da Neurologia.

Foram feitas ressonâncias magnéticas nos cérebros de 27 pessoas em coma, com lesões cerebrais graves e em 14 pessoas consideradas saudáveis. Varreduras em pacientes em coma foram realizadas depois que quaisquer drogas sedativas tinham deixado seus sistemas. Três meses depois de seus ferimentos, quatro das pessoas com coma haviam recuperado a consciência. Os outros permaneceram em um estado minimamente consciente ou vegetativo em 3 meses.

A coordenação das atividades entre o aspecto posterior do giro do cíngulo e córtex pré-frontal medial foi significativamente diferente entre aqueles que passaram a se recuperar do coma e aqueles que permaneceram em um estado minimamente consciente ou um estado vegetativo. No entanto, a coordenação entre as duas áreas do cérebro foi a mesma para os participantes saudáveis ​​e aqueles que recuperaram a consciência.

O autor do estudo Dr. Stein Silva, do Instituto de Pesquisa Nacional francesa INSERM U825 em Toulouse, diz que mais pesquisas são necessárias antes que estes resultados possam ser usados ​​para orientar as decisões sobre as pessoas em coma: “Nós precisamos fazer mais estudos com um número maior de pacientes para comprovar estes resultados, pois os resultados são promissores. Poderíamos ser capazes de prever melhor quem tem mais chances de se recuperar de um coma e, eventualmente, desenvolver redes com base em tratamentos inovadores personalizados para as pessoas com lesões cerebrais”.

Sinais e avaliação do coma
Sinais e sintomas de coma comuns incluem os olhos fechados, reflexos do tronco cerebral, depressão, tais como pupilas que não respondem à luz, não há respostas dos membros, exceto reflexos, nenhuma resposta a estímulos dolorosos, exceto reflexos e respiração irregular.

A gravidade de um coma é avaliada utilizando a Escala de Coma de Glasgow (GCS), o que dá uma pontuação baseada na abertura ocular, resposta verbal a um comando e movimentos voluntários em resposta a um comando.

Um coma pode durar dias, semanas ou até mais, se conduzir a um estado vegetativo. Exceto no caso de coma induzido, os médicos normalmente não podem prever quando um paciente vai recuperar a consciência. No entanto, este estudo indica que as varreduras do cérebro podem ser capazes de prever quando a pessoa irá acordar.

Compartilhe essa notícia: