Notícias Viva Mais

Pediatria PUBLICADO EM 04/02/2016

Pesquisa compara peso com calendário da puberdade

Obesidade parece ter efeitos diferentes sobre os meninos 

Pesquisa compara peso com calendário da puberdade

Um novo estudo, publicado na revista Pediatrics, compara o status do peso com o calendário da puberdade em meninos. Realizado pela  University of Michigan’s C.S. Mott Children’s Hospital in Ann Arbor, a pesquisa compara os estágios nos meninos com peso normal, com sobrepeso e obesos.

O autor principal, Joyce Lee, professor associado e endocrinologista pediátrico da Universidade de Michigan Medical School, observa como suas descobertas sugerem que o excesso de peso parece ter efeitos diferentes sobre os meninos em comparação com as meninas:
“Nas meninas, o excesso de peso está associado a um início mais precoce da puberdade, mas para meninos vimos um quadro misto. Meninos com sobrepeso têm um início mais precoce da puberdade, enquanto os meninos obesos experimentam um início mais tardio da puberdade, em comparação com os meninos com peso normal”.

Para o estudo, a equipe analisou dados de 3.600 meninos com idades entre 6-16 anos. Os dados incluíram medidas de peso, estatura e puberdade, como o volume testicular e estágios de Tanner – um sistema de classificação de maturidade sexual normal que foi primeiramente descrito por James Mourilyan Tanner, um endocrinologista pediatra britânico.

Os pesquisadores agruparam os meninos – com base em seu índice de massa corporal (IMC) – em peso normal, sobrepeso ou obesidade e compararam com estágios de Tanner em cada grupo. Todos os meninos no estudo experimentaram a puberdade dentro da faixa etária normal. No entanto, para os meninos brancos e negros, a puberdade ocorreu mais cedo no sobrepeso em comparação com os meninos com peso normal, e ocorreu mais tarde em obesos em comparação com os meninos com sobrepeso. Além disso, com base no volume testicular, os resultados suportam a puberdade mais cedo para o excesso de peso em comparação com peso normal em meninos brancos, observam os autores. O estudo não investigou as causas dessas diferenças. 

Por enquanto, Prof. Lee sugere:
“Esta é uma informação importante para os pediatras que estão monitorando as crianças para o crescimento e desenvolvimento saudáveis. Os pediatras devem considerar a possibilidade de que o atraso da puberdade nos meninos pode ser devido a obesidade”.

Compartilhe essa notícia: