Notícias Viva Mais

Oncologia Clínica PUBLICADO EM 10/10/2016

Mito ou verdade: Mamografia causa câncer de tireoide?

Vídeo que circula no WhatsApp é falso e sem fundamento

 

Mito ou verdade: Mamografia causa câncer de tireoide?

(Atualizada em 17/02/2017)

Recentemente, voltou a circular no WhasApp um vídeo que fala sobre o Dr. Dráuzio Varella, a mamografia e o câncer de tireoide. Muitas dúvidas surgiram é comum gerarem incertezas em parte das mulheres que pretendem realizar suas mamografias preventivas.

Apesar de diversos estudos confirmarem a importância da mamografia na redução da mortalidade pelo câncer de mama, há também a preocupação com os efeitos que a radiação ionizante pode trazer para o organismo. E o vídeo divulgado no aplicativo de bate-papo, gera falso alerta para o aumento do câncer de tireoide em pacientes submetidas à mamografias sem proteção da glândula.

Várias entidades médicas já emitiram alertas de que NÃO há indicação para o uso do colar protetor de tireoide em exames de mamografia. O que existe são diversos estudos publicados – dados consistentes – mostrando que o exame de rastreamento mamográfico não expõe a tireoide a doses consideradas nocivas. Ao realizar a mamografia, a dose de radiação para a tireoide é muito baixa, menor que 1% da dose recebida pela mama. Por isso, o risco da paciente desenvolver o câncer de tireoide após uma mamografia é insignificante, menos de um caso a cada 17 milhões de mulheres. Uma questão que é importante ressaltar é que o uso do protetor de tireoide, durante a mamografia, pode interferir no diagnóstico e levar à necessidade de repetir o exame, levando a paciente a se expor novamente à radiação.

Portanto, o tal colar protetor da tireoide existe sim, mas não é necessário para a realização de exames de mamografia. O protetor pode ser disponibilizado para mulheres que desejem fazer seu uso, mas essa não é uma prática recomendada. O importante é não deixar de realizar a mamografia, exame fundamental para a detecção precoce de tumores mamários com menos de 1 cm. Vale lembrar que o exame de toque, via palpação da mama, detecta tumores com cerca de 3 cm, que já é considerado um tumor grande e com chances razoáveis de propagação.

Concluindo, essa informação é MITO, MITO DUPLO, porque essa notícia também não foi passada pelo conceituado médico, Dr. Dráuzio Varella. 

Para mais informações acesse os links:

Nota do Colégio Brasileiro de Radiologia

Nota da Sociedade Brasileira de Mastologia

Compartilhe essa notícia: