Notícias Viva Mais

Alimentação PUBLICADO EM 20/04/2016

Comer frutas diariamente pode reduzir risco de morte cardiovascular

100g por dia reduz em um terço os riscos de ataques cardíacos

Participação do nutricionista, Haroldo Lordello

Comer frutas diariamente pode reduzir risco de morte cardiovascular

Uma nova pesquisa, publicada na revista New England Journal of Medicine, fornece mais provas dos benefícios à saúde do consumo de frutas, depois de descobrir que comer frutas frescas diariamente pode reduzir os riscos de ataque cardíaco, derrame e morte cardiovascular. Dr. Huaidong Du, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e colegas revelam como uma ingestão diária de frutas frescas poderia reduzir os riscos de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. Os pesquisadores observam que estudos anteriores já identificaram uma ligação entre o alto consumo de frutas e menor risco de doença cardiovascular em populações ocidentais. No entanto, Dr. Du e seus colegas dizem que pouco se sabe sobre a saúde do coração e os benefícios das frutas. 100g de frutas frescas diariamente reduz a morte cardiovascular em um terço.

Para a pesquisa, a equipe utilizou os dados de 512,891 adultos com idades entre 30-79 anos, que não tinham história prévia de doença cardiovascular ou uso de medicação anti-hipertensiva. Os participantes foram obrigados a comunicar o seu consumo diário de frutas, incluindo a quantidade de cada fruta separadamente. Em comparação com os participantes que nunca ou raramente consumiam frutas frescas, aqueles que consumiram diariamente, tiveram pressão arterial e níveis de glicose menores, bem como menores riscos de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. O consumo de frutas entre os indivíduos consistia principalmente em maçãs e laranjas e os resultados foram consistentes em homens e mulheres. A equipe descobriu que os participantes que consumiam cerca de 100g de frutas frescas diariamente também foram um terço menores em probabilidades de morrer de causas cardiovasculares, em comparação com aqueles que nunca ou raramente comiam frutas. Comentando os resultados, autor principal do estudo Prof. Zhengming Chen, também da Universidade de Oxford, diz:

“É difícil saber se o menor risco em pessoas que comem mais frutas frescas é por causa de um efeito protetor real. Se for, então o consumo generalizado de frutas frescas poderia evitar cerca de meio milhão de mortes por doenças cardiovasculares por ano e um número ainda maior de derrames não fatais e ataques cardíacos”.

Muitos adultos obesos foram crianças obesas e, por essa razão, é importante ter um olhar mais cuidadoso com a alimentação desde a infância. O nutricionista, Haroldo Lordello, lembra da importância de uma alimentação equilibrada para manutenção da saúde: “De acordo com o Ministério da Saúde, 52,5% dos brasileiros estão acima do peso e já existem mais de 17% de brasileiros obesos. Não podemos esquecer que a obesidade é um grave problema que afeta todo mundo e tem, na alimentação, sua principal via de tratamento. O excesso de peso traz transtornos à saúde, como indisposição, dores articulares, além de favorecer o aparecimento de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, hipertensão e câncer, diminuindo a expectativa de vida”, explica. 

Reduzir o consumo de alimentos processados e aumentar o consumo de frutas e verduras, para algumas pessoas, não é tão fácil. Pequenas mudanças na alimentação terão grande valor na prevenção de doenças crônico-degenerativas. “Manter uma alimentação equilibrada, colorida e rica em nutrientes, auxilia na manutenção e controle do peso. Dê sempre preferência a alimentos naturais, principalmente orgânicos, livres de agrotóxicos e ricos em nutrientes. Evitar excessos, principalmente de produtos industrializados e carboidratos refinados, como pães, massas e salgados é fundamental nesse processo”, finaliza o nutricionista, Haroldo Lordello.

 

Compartilhe essa notícia: