Notícias Viva Mais

Ortopedia e Traumatologia PUBLICADO EM 28/11/2016

Lesão no Joelho: Se não tratada, pode ter consequências desagradáveis

Participação do médico Pedro Bastos, especialista em ortopedia e traumatologia

Lesão no Joelho: Se não tratada, pode ter consequências desagradáveis

O joelho é uma das articulações mais importantes do corpo e, devido a sua localização central, está sujeito a lesões traumáticas de todos os tipos. Tais lesões podem gerar dor e prejuízo funcional, necessitando de atenção médica. A articulação é composta pelos ossos do fêmur, da tíbia e da patela, conectados principalmente por quatro ligamentos (estabilizadores estáticos, que não se mexem), e os músculos (estabilizadores dinâmicos, que se mexem), tendo como principais movimentos flexão e extensão (dobrar e esticar), mas permitindo uma leve rotação lateral e medial.

A articulação do joelho é muito vulnerável aos traumas diretos e, principalmente, indiretos, sendo uma das áreas que mais sofrem lesões no corpo humano. No dia-a-dia, diferentes ocasiões podem favorecer ao aparecimento de patologias, como acidente ou posturas incorretas, mas é na prática esportiva que acontece a maioria das lesões. As principais são:
– lesão do ligamento cruzado anterior;
– lesão do ligamento cruzado posterior;
– luxação patelar;
– condromalácia patelar;
– artrose de joelho;
– síndrome do corredor;
– tendinite patelar;
– lesões no menisco;
– cisto de Baker.

Porém, quem não pratica esporte também pode lesionar um ligamento de joelho. O médico Pedro Bastos, especialista em ortopedia e traumatologia, afirma que o sedentarismo hoje é o principal responsável pelo desequilíbrio e fraqueza muscular. Qualquer trauma, direto ou indireto, ou seja, torsional sobre o joelho, pode acarretar lesão. Os músculos são estabilizadores dinâmicos sobre o joelho, eles têm importância na estabilização assim como os ligamentos. Se o paciente tiver uma musculatura boa, a sua chance de ter lesão é muito menor do que se não tiver o preparo físico adequado.

Após romper o ligamento, os sintomas podem ser mais evidentes em alguns pacientes e menos em outros, principalmente devido ao nível de atividade física e a musculatura de cada um. A dor e o inchaço irão reduzir após uma semana do trauma e os sintomas diminuem parcialmente. Porém, o paciente passa a apresentar a instabilidade, frouxidão do joelho, e isso dificulta nas atividades de lazer e até atividades laborativas – do trabalho. Essa instabilidade, no futuro, acabará lesando outras estruturas do joelho e, se não tratada, pode evoluir para artrose.

Compartilhe essa notícia: