Notícias Viva Mais

Alimentação PUBLICADO EM 13/01/2016

Incentivos tornam porções menores de comida mais atraentes

Estudo revela que as pessoas trocam refeições maiores por brindes

Incentivos tornam porções menores de comida mais atraentes

Oferecer um pequeno incentivo com uma refeição motiva as crianças e adultos a escolherem porções menores de comida, de acordo com um novo estudo publicado no Journal of the Association for Consumer Research. Pesquisadores da Universidade do Arizona e da Universidade do Sul da Califórnia (USC) realizaram ressonância magnética funcional (fMRI) – capaz de detectar variações no fluxo sanguíneo em resposta à atividade neural – para descobrir se o cérebro responde ao conceito “Refeição Feliz” com um pequeno brinde (brinquedo ou bilhete da loteria), da mesma maneira que fazem com um hambúrguer para se tornar mais atraente.

Os resultados oferecem pistas sobre porque as pessoas comem demais e como elas podem ser tão felizes se não comerem tanto. Em uma série de experimentos, os participantes identificaram opções com vários alimentos e incentivos, enquanto pesquisadores coletaram dados de neuroimagem com fMRIs.

Prêmio recompensa é tão tentador como alimento
Os pesquisadores descobriram que a maioria das crianças e adultos escolheu uma porção menor emparelhado com um brinde sobre uma porção de tamanho completo sem o brinde. O preço das duas opções era o mesmo.

Os resultados mostraram que a combinação de pouca quantidade de comida e um prêmio não alimentar ativa áreas do cérebro. A área afetada é o núcleo estriado, que corresponde a uma parte central do cérebro, associado com a recompensa, vontade e motivação. Eles também descobriram que as pessoas que estavam fortemente motivadas para escolher metade de um alimento mesmo com fome, não compensaram comendo mais depois.

Além disso, não só pode um pequeno prêmio motivar a escolha refeição saudável, mas o próprio pensamento de conseguir o prêmio é mais motivador do que o próprio prêmio. As pessoas estavam mais propensas a escolher uma refeição menor para a chance de ganhar um brinde do que para ganhar uma recompensa garantida. Os prêmios do estudo foram a chance de ganhar $10, $50 ou $100.

Os autores escrevem:
“Claramente, comer menos não é divertido para muitas pessoas, e pode até mesmo ser uma fonte de infelicidade de curto prazo, como restrição de tamanho de parte exige disciplina e auto-controle. No entanto, através da combinação de um desejo de curto prazo (para comer) com outro desejo de curto prazo (para jogar) que, em combinação com o desejo de longo prazo (para ser saudável), diferentes fontes de felicidade tornam-se mensuráveis”.

Os resultados atuais fornecem “uma solução simples, mas poderosa, para unir estes dois objetivos aparentemente contraditórios de vender mais X comer menos”.

Compartilhe essa notícia: