Notícias Viva Mais

Ginecologia e Obstetrícia PUBLICADO EM 06/01/2016

Fungicidas orais podem levar a aborto espontâneo

Estudo sugere que mulheres grávidas não usem a droga

 

Fungicidas orais podem levar a aborto espontâneo

O uso do medicamento Fluconazol, antifúngico oral muito utilizado no tratamento da candidíase e outras micoses, durante a gravidez pode aumentar o risco de aborto espontâneo, de acordo com um novo estudo publicado no JAMA – Jornal da Associação Americana de Medicina.

Gestantes têm um risco mais elevado de desenvolver infecções vaginais devido a um aumento da secreção de hormônios sexuais; cerca de 10% desenvolvem a candidíase. Embora formulações intravaginais de antifúngicos tópicos são a primeira linha de tratamento para essas mulheres, o Fluconazol oral é frequentemente utilizado. No entanto, há uma falta de informação de segurança para a droga. 

Estudos anteriores sugeriram evidência de um padrão distinto de malformações congênitas crânio faciais e esqueléticas em bebês nascidos de mulheres tratadas a longo prazo com doses elevadas de Fluconazol durante a gravidez.

Por isso, Ditte Mølgaard-Nielsen, do Statens Serum Institut, em Copenhague, na Dinamarca, e seus colegas avaliaram a associação entre a exposição do Fluconazol oral durante a gravidez e o risco de aborto espontâneo e natimorto. A equipe estudou 1.405.663 gestações de 1997-2013, na Dinamarca.

Os resultados mostraram um aumento significativo do risco de aborto espontâneo associado à exposição ao Fluconazol. Das 3.315 mulheres expostas ao Fluconazol oral, 147 tiveram um aborto espontâneo, em comparação com 563 entre 13.246 mulheres que não foram expostas aos antifúngicos. A associação entre a exposição ao fluconazol e morte fetal não foi significativa: de 5.382 mulheres expostas ao fluconazol de semana gestacional ao nascimento, 21 tiveram um natimorto, em comparação com 77 entre 21.506 mulheres não expostas ao antifúngico. No entanto, os pesquisadores observaram que uma vez que o número de natimortos geral foi baixo, são necessárias mais informações para tirar conclusões definitivas sobre o risco.

Um possível fator de confusão pode acontecer em casos mais graves de candidíase vaginal, a cândida pode subir da vagina para provocar candidíase intrauterina, podendo levar à prematuridade e perda fetal.

No entanto, os autores concluem que “o uso de fluconazol oral durante a gravidez foi associado a um risco significativamente aumentado de aborto espontâneo. Até que estejam disponíveis mais dados sobre a associação, é aconselhada a prescrição cautelosa de fluconazol durante a gravidez. Embora o risco de morte fetal não tenha aumentado significativamente, este resultado deve ser investigado”.

Compartilhe essa notícia: