Notícias Viva Mais

Ortopedia e Traumatologia PUBLICADO EM 06/04/2020

Em quarentena, atletas sofrem perda técnica e reforçam o corpo e a mente

Profissionais do esporte precisam manter o equilíbrio mental e fazer exercícios seguros em casa

Com participação do ortopedista Lauro Magalhães, especialista em Cirurgia do Quadril

Em quarentena, atletas sofrem perda técnica e reforçam o corpo e a mente

Suportar a quarentena não tem sido tarefa fácil para muitos atletas brasileiros. Embora o adiamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos para julho de 2021 tenha gerado tranquilidade, eles sabem que não é possível relaxar, nem perder o foco. Quando as perdas técnicas são inevitáveis, os trabalhos físicos e mentais, realizados em casa, ganham importância ainda maior.

O cenário de incertezas forçou mobilização de profissionais das mais diversas áreas e modalidades em busca de resultados. Em linhas gerais, estudos em andamento indicam que a recuperação de força e potência muscular, por exemplo, podem demorar até o dobro do tempo que o atleta ficou parado. E que quanto maior o nível do esportista, mais difícil será a retomada.

Soma-se a isso o estresse causado pelo confinamento e a falta de ritmo para a execução de movimentos, jogadas e ações particulares de cada esporte. A impossibilidade de treinar em piscinas, pistas, tatames, quadras, circuitos e demais espaços, somada à falta das relações sociais, provocaram um cenário jamais visto por quem vive do esporte de alto rendimento. O mais importante agora é ter um equilíbrio mental e fazer exercícios seguros em casa.

De acordo com o ortopedista Dr. Lauro Magalhães, “manter o peso corporal adequado e uma alimentação balanceada, hidratação antes, durante e após a atividade, usar roupas e calçados adequados para cada esporte, respeitar o repouso, manter o alongamento e o fortalecimento muscular adequados e evitar sobrecarga nos treinamentos são essenciais para evitar lesões no esporte. Neste momento, tudo o que não queremos são atletas lesionados se expondo ao coronavírus em leitos de hospitais que devem estar desocupados, preferencialmente, para atender os casos graves do Covid-19”, frisa o médico.

O especialista em Cirurgia do Quadril acrescenta que todo atleta, seja profissional ou amador, tem que manter um equilíbrio muscular do abdome, cintura pélvica e coluna lombar para evitar lesões como a pubalgia, “uma patologia que traz uma angústia ao atleta devido à dor e ao afastamento das atividades por longos períodos. “Minha recomendação é manter o alongamento e o fortalecimento muscular constantes”, finalizou o ortopedista Dr. Lauro Magalhães.

Compartilhe essa notícia: