Notícias Viva Mais

Oncologia Clínica PUBLICADO EM 06/05/2016

Extrato de agrião pode proteger fumantes contra o câncer

Pesquisa foi realizada pelo Instituto do Câncer da Universidade de Pittsburg

Extrato de agrião pode proteger fumantes contra o câncer

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, o tabagismo é responsável por mais de 480 mil mortes a cada ano em todo o mundo. Ele faz danos a quase todos os órgãos do corpo e causa muitas doenças. Por isso, um novo estudo clínico, realizado pelo Instituto do Câncer da Universidade de Pittsburg, EUA, demonstrou a capacidade do extrato de agrião para desintoxicar determinados agentes cancerígenos em fumantes, potencialmente protegendo-os contra o câncer. O seu ensaio clínico de fase 2 foi apresentado na reunião anual de Pesquisa sobre o Câncer realizada pela Associação Americana, em Nova Orleans, LA.

“A nicotina é muito viciante, e parar de fumar pode levar tempo e várias recaídas”, afirma o Dr. Jian-Min Yuan, diretor associado do Instituto do Câncer da Universidade de Pittsburg, que acrescenta que “os fumantes de cigarro estão em risco muito maior do que o público em geral para o desenvolvimento de câncer de pulmão, e ajudá-los a parar de fumar deve ser a principal forma de prevenção do câncer”.

Saiba mais:
Câncer de Pulmão: Rastreamento
Câncer de Pulmão: Não fumantes podem desenvolver a doença?

Para os estudos, os pesquisadores estudaram os dados de  82 fumantes de cigarro em um ensaio clínico randomizado. Durante o ensaio, os participantes tomaram cada um 10 mg de extrato de agrião, que foi misturado em 1 ml de azeite, quatro vezes por dia, durante uma semana, ou tomaram um placebo. Todos os participantes continuaram seus hábitos regulares de fumar durante o período experimental. Os resultados mostraram que, em apenas 1 semana, os fumantes que tomaram o extrato agrião tinham uma redução de 7,7% na ativação de cetona-nitrosamina, derivado da nicotina, substância que se encontra na fumaça do cigarro. Além disso, o extrato de agrião aumentou a desintoxicação do benzeno em 24,6% e acroleína em 15,1%. Estas toxinas também são encontrados na fumaça do cigarro.

Curiosamente, existem dois genes específicos que estão envolvidos numa via genética que ajuda o antioxidante glutationa a remover substâncias cancerígenas do corpo. Os participantes que não tinham estes dois genes tiveram um maior benefício em tomar extrato de agrião, dizem os pesquisadores. Em detalhe, a desintoxicação do benzeno aumentaou 95,4%, acroleína 32,7% e crotonaldehyde 29,8%, quando eles tomaram o extrato de agrião.

Embora estes resultados sejam muito promissores, os pesquisadores dizem que eles devem primeiro executar outro ensaio clínico em centenas de pessoas antes que este tratamento possa ser recomendado para fumantes. Além disso, Dr. Yuan adverte que, apesar de que comer agrião seja bom para a saúde, não é provável que tenha os mesmos benefícios que em forma de extrato.

Compartilhe essa notícia: