Notícias Viva Mais

Cardiologia PUBLICADO EM 15/06/2016

Baixa ingestão de sal também pode ser prejudicial

Novo estudo afirma que apenas hipertensos devem reduzir o sal da alimentação

 

Baixa ingestão de sal também pode ser prejudicial

É amplamente divulgado que o excesso de sal na dieta pode levar a pressão arterial elevada, aumentando o risco de ataque cardíaco, derrames e outras doenças cardiovasculares. Mas, será que consumir os níveis de sal recomendados pelas diretrizes atuais realmente reduzem o risco de tais resultados? De acordo com uma nova pesquisa publicada no The Lancet, a baixa ingestão do produto também pode ser prejudicial. 

Os pesquisadores sugerem que as recomendações atuais para o consumo diário de sal estão muito baixas: 2,3 gramas de sódio por dia, o equivalente a 1 colher de chá de sal. Principal autor, Andrew Mente, da Faculdade de Medicina da Universidade McMaster, no Canadá, e seus colegas disseram que seus resultados indicam que apenas as pessoas com pressão arterial elevada (hipertensão) devem reduzir o consumo de sal da alimentação. Apesar da ingestão elevada de sal estar associada ao aumento da pressão sanguínea e maior risco de problemas cardíacos, o estudo constatou que a ingestão de pouco sal ou sódio pode aumentar o risco de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e morte, em comparação com um consumo médio de sal. 

A equipe analisou dados de mais de 130 mil pessoas, abrangendo 49 países. Eles observaram a ingestão de sódio dos participantes e como ela está relacionada com o risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral entre aqueles com e sem pressão arterial elevada. Em comparação com as pessoas que tinham uma ingestão média de sódio, as taxas de ataque cardíaco, derrame e morte foram mais elevadas entre aqueles que tinham uma baixa ingestão de sódio, independentemente de os participantes terem pressão arterial elevada.

Curiosamente, baixa ingestão de sal no estudo foi definida como uma ingestão de menos de 3 gramas por dia, o que é acima das recomendações atuais. Além disso, os pesquisadores descobriram que apenas os indivíduos com pressão arterial elevada pareciam estar sujeitos aos riscos associados à elevada ingestão de sal – definidas como mais de 6 gramas por dia.

A equipe afirma que as conclusões são “extremamente importantes” para os indivíduos com pressão arterial elevada: “embora nossos dados destaquem a importância de reduzir o consumo de sal em pessoas hipertensas, a redução da ingestão de sal para pessoas sem a doença não tem fundamento. Nossos resultados são importantes porque mostram que a redução de sódio é mais voltada para aqueles com hipertensão, que também consomem dietas de sódio elevados”.

Compartilhe essa notícia: