Ressonância Magnética: Portadores de insuficiência renal devem evitar o contraste venoso.

Viva Mais Viva Melhor - Trecho da entrevista com: Dr. José Luiz Ferreira

Publicado: 22 de fevereiro de 2017 - Atualizado: 4 de junho de 2019

O contraste à base de gadolínio deve ser evitado sempre que possível em pacientes com déficit de função renal e, quando possível, deve ser substituído por outros exames, como ultrassonografia. Em situações em que não houver outras opções, deve ser avaliado o risco e benefício, podendo ser ajustada a dose do contraste à função renal.