Recentemente, a atriz Angelina Jolie retirou as duas mamas como uma forma de prevenção do câncer de mama. A mastectomia profilática serve para qualquer mulher?

Viva Mais Viva Melhor - Trecho da entrevista com: Dra. Ivana Nascimento

Publicado: 5 de outubro de 2015 - Atualizado: 4 de junho de 2019

No caso da atriz ela tem uma história típica de síndrome de predisposição hereditária ao câncer, no caso o que a gente chama de síndrome de câncer de mama e ovário hereditário. Ela tinha várias gerações na família com câncer de mama precoce, um caso, inclusive, de câncer de ovário também, ela tinha a avó, a mãe, uma tia, várias pessoas todas com a doença diagnosticada antes dos 50 anos, ou seja, em uma idade precoce, fora da faixa de aparecimento dessa doença, mais comumente encontrada a partir dos 50 anos, isso caracterizava um risco aumentado de ter um câncer hereditário. Então foi feito um teste genético na mãe que foi positivo para mutação do gene específico, na tia também e aí ela quando faz parte do aconselhamento hereditário essa progressão, se você encontra numa pessoa você vai para os seus descendentes diretos para avaliar se esses descendentes diretos também tem a mutação e se enquadram no risco de doença hereditária. Depois fizeram o teste genético de Angelina Jolie, embora ela não tivesse câncer, e foi constatado que ela também havia herdado a mutação que ocorria na família materna e por isso ela fez esse protocolo de prevenção. A gente chama de medida de redução de risco, então foi muito bem indicada no caso dela, tanto a retirada das mamas, como depois a retirada dos ovários.